NOTÍCIAS

PREFEITURA ENTREGA “CASA DE CULTURA” PARA DIFUNDIR A HISTÓRIA DO POVO MIPIBUENSE

PREFEITURA ENTREGA “CASA DE CULTURA” PARA DIFUNDIR HISTÓRIA

A Prefeitura Municipal de de São José de Mipibu, por ocasião da programação de entrega de escolas reformadas e ampliadas, evento realizado na última semana de maio, entregou à população mipibuense a Casa de Cultura, espaço que guarda registros dos aspectos históricos, sociais e econômicos do Município.

Durante a solenidade a secretária Municipal de Cultura, Mariana Dantas, homenageou o ex-vereador e folclorista Amauri Freire, pela contribuição dada à cultura imaterial do povo mipibuense.

Localizada no centro da cidade, a Casa de Cultura descortina retalhos da origem e do cotidiano do povo de São José de Mipibu, com mostras de eventos culturais que narram a evolução da sociedade mipibuense.

A solenidade presidida pelo prefeito Arlindo Dantas foi prestigiada pela deputada estadual Cristiane Dantas, que foi recepcionada pelo chefe do Executivo, o vice-prefeito Zé Figueiredo, vereadores e secretários municipais.

De acordo com a secretária Mariana Dantas, a Casa de Cultura, dentre outras finalidades vai por meio do turismo difundir a história do Município, construída com os aspectos religiosos, sociais, econômicos e políticos.

Distante 30 KM de Natal, São José de Mipibu descortina importante cenário cultural, com casarões, engenhos e uma rica história da política potiguar. Na fazenda Belém, localizada na margem esquerda da BR 101, no sentido São José de Mipibu – Natal, no ano de 1817 o então coronel Jerônimo de Albuquerque Maranhão esteve em missão oficial, onde naquela oportunidade, na casa grande da fazenda se encontrava dormindo o presidente da Capitania do Rio Grande, José Inácio Borges, que foi cercado e preso sob o comando de André de Albuquerque Maranhão, que de imediato destituiu o governante e determinou sua saída da então capitania do Rio Grande para o estado de Pernambuco.

Ainda no aspecto político Mariana Dantas ressalta a figura de Miguel Ribeiro Dantas, que pertenceu ao Partido Conservador da época, tornando-se vereador por algumas vezes, sendo ainda Juiz Ordinário, e, em 18 de março de 1877, por decreto imperial, recebeu o título nobiliárquico de Barão de Mipibu. Na atividade econômica o Barão cultivou a cana-de-açúcar para a produção de açúcar mascavo e derivados, gerando sua considerável fortuna. Realizou, também, inúmeras benfeitorias para a sua cidade São José de Mipibu. Mandou construir e doou à cidade o prédio onde funcionou a Casa de Instrução, que, logo após a sua morte, em homenagem póstuma, o prédio passou a se chamar Grupo de Ensino Barão de Mipibu, atualmente Escola Estadual Barão de Mipibu. Miguel Ribeiro Dantas faleceu em 14 de junho de 1881, seus restos mortais estão sepultados no cemitério local.

Outro destino cultural que será apresentado é a fazenda Olho D’água, berço da família do patriarca português, o capitão Miguel Antonio Ribeiro Dantas. Em 1733 o português Miguel Ribeiro Dantas, por meio de uma sesmaria requereu junto ao estado de Pernambuco uma gleba de terra na então Vila de São José do Rio Grande, hoje São José de Mipibu, onde está inserida a fazenda Olho D’água. No ano de 1774 Miguel Ribeiro iniciou a construção da casa sede da fazenda, que no ano de 1861 recebeu sua primeira reforma. Após o falecimento do patriarca Miguel Antonio Ribeiro Dantas a propriedade foi herdada por Joaquim Silvino Ribeiro Dantas, passando posteriormente para João Berckmans Dantas..

No aspecto religioso o destaque vai para a Igreja Matriz de Sant’Ana e São Joaquim, berço de vocações, que com seu estilo barroco e imagens centenárias se apresenta atualmente como sendo o mais importante cartão de visita da cidade. A religiosidade foi o primeiro passo dado na evolução social e intelectual do povo oriundo da tribo indígena Mopebu.

São José de Mipibu é um município no estado do Rio Grande do Norte, distante 30 km de Natal. Mipibu é uma palavra de origem Tupi que significa surgir subitamente. Em 1630 existia um aldeamento no território, cujo nome era Mopebu, o maior, mais populoso e o principal entre as seis aldeias da Capitania do Rio Grande do Norte. Os primeiros habitantes da região foram índios Tupis, que se localizaram nas proximidades do rio Mipibu, que recebeu esse nome por surgir de repente na famosa Fonte da Bica e percorrer por quatro quilômetros, até desaguar no rio Trairi. Esse legado cultural torna mais rico e autêntico o trabalho desenvolvido pelos artesãos mipibuenses.